Ir para o conteúdo principal

Especiais

jun 17

Written by: admespeciais
17/06/2014 10:45  RssIcon

Jair da Costa nasceu em 9 de julho de 1940. Foi revelado pela Portuguesa de Desportos, aos 20 anos de idade. Em 1962, teve a oportunidade de integrar a Seleção Brasileira. O ponta-direita foi reserva de Mané Garrincha e entrou em campo apenas num amistoso contra o País de Gales.

Após o Mundial, Jair da Costa teve o seu talento reconhecido pela Inter de Milão. Contratado pelo time italiano, ele ganhou importantes títulos, além de jogar ao lado dos ídolos Tarcisio Burgnich e Sandro Mazzolla. Passou dez anos na Itália e voltou ao Brasil em 1972.

Em 1973, conquistou o título de campeão paulista pelo Santos F.C., do técnico Pepe. No ano seguinte, o jogador deixou o país para juntar-se ao elenco do Windsor Star, do Canadá. Dois anos depois, encerrou a carreira.

A trajetória de Jair da Costa no futebol merece ser lembrada!

Leia a entrevista com o jogador Jair da Costa:

O esporte praticado na escola pode ser um estímulo para uma criança seguir a carreira de jogador de futebol?
Sim. Por conta da Educação Física, por exemplo, a criança vai gostar muito mais de ir pra escola. É o que observo nos meus netos: eles se empolgam quando vão desenvolver alguma atividade física na escola.

A escola ajuda a formar atletas mais disciplinados?
Com certeza! Além da família, os educadores têm um papel muito importante na formação da criança. Por isso a molecada tem que ir pra escola.

Qual é a sua principal lembrança da Copa de 1962?
Fomos campeões. Essa é a minha principal lembrança. Me recordo bem da preparação física, quando passamos em diversas cidades, como Serra Negra e Campos do Jordão. Eu era todo entusiasmo. Comecei na Portuguesa, e ser chamado para a Seleção Brasileira foi uma emoção extraordinária.

Como foi a sua temporada na Itália? Os torcedores de lá se entregam tanto ao futebol quanto os brasileiros?
Foram dez anos de alegria, onde tive a oportunidade de ganhar quatro títulos italianos, dois europeus e dois mundiais. O italiano é tão fanático por futebol quanto o brasileiro... quem sabe até mais!

Qual é o seu ídolo no futebol?
Na minha época não tinha nenhum ídolo porque todos jogavam muito bem. O Didi, o Júlio Botelho e o próprio Garrincha eram alguns jogadores que eu admirava.

Qual é a sua aposta para a Copa de 2014?
O Brasil está com uma seleção boa, é a favoritíssima. O público também está ajudando, apoiando. Eu acredito muito no Brasil, e os jogadores estão sendo muito bem dirigidos pelo Luiz Felipe Scolari.


Seleção brasileira bicampeã mundial da Copa de 1962

« Mais entrevistas

Tags:
Categories:
Location: Blogs Parent Separator Especiais

Busca em Especiais: