Ir para o conteúdo principal
porno mat i sin xxx odia in adult rape videos
agri escort elazig escort
ankara escort
bonus veren siteler
huluhub.com
Luxury replica watches
www.copeland.club
old sex women boy to boy xxx nude
beylikduzu escort alman porno

Notícias

dez 11

Written by: adm
11/12/2019 14:02  RssIcon

Movimento Inova também sediou a 6ª FeCEESP e a Mostra Interativa de Robótica e Computação.

11 de Dezembro de 2019

A Escola de Formação abriu suas portas, nos dias 05 e 06/12, para receber alunos, professores e especialistas para participarem do Movimento Inova, que além de oficinas e palestras, também sediou a 6ª Feira de Ciências das Escolas Estaduais de São Paulo – FeCEESP e a Mostra Interativa de Robótica e Computação.

Filipe Cavalcanti é aluno da EE Pedro Malozze, da DE Mogi das Cruzes. Por conta de uma atrofia muscular que limita seus movimentos, sugeriu a criação de um braço hidráulico para auxiliá-lo. Ele e seu amigo, Leonardo Souza, criaram um protótipo que os levaram à final da Feira, e ao 3º lugar na categoria Ciências da Natureza – Júnior. Para a professora Regina Cláudia Pinto de Souza, o ponto principal do projeto está na inclusão social: “Com esse trabalho, o Filipe ficou muito mais desenvolto, fazia pesquisas e a troca do conhecimento em sala de aula. Ele conquistou muitos amigos, e a valorização dos colegas é fantástica. Foi onde eu me senti realizada como professora”.

Entre tantos projetos interessantes, Lucas Basso e Gustavo M. Stefanello se destacaram e levaram o Prêmio Revelação, na categoria Ciências Humanas. Alunos da EE Coronel José Levy, da DE Limeira, desenvolveram a cartografia afetiva de Cordeirópolis, na busca da ressignificação dos lugares. “Nosso mapa considera o sentimento da pessoa pelo espaço. Conversamos com cinco idosos, com mais de 60 anos, e com no mínimo 40 anos, residindo em Cordeirópolis, para pegar boa parte da história – já que a cidade é muito recente, tem uns 70 anos. Eles nos apresentaram os lugares e suas vivências, e nós montamos o mapa junto com eles”, explicam. O projeto, além de proporcionar conhecimento sobre a cidade, que é pequena e sem muitos registros e pesquisas, trouxe novas possibilidades para o Projeto de Vida de Gustavo: “Sempre sonhei em trabalhar com a área de computação, e esse projeto me trouxe uma visão diferente sobre a área de humanas. É muito boa, e eu gostei bastante”.

A premiação seguiu duas categorias: Ciências da Natureza e Ciências Humanas, divididas em subcategorias Master (alunos do 9º ano, 1ª série e 2ª série) e Júnior (alunos do 6º, 7º e 8º anos do Ensino Fundamental), e o Prêmio Revelação, oferecido ao projeto que nunca participou de eventos de Ciências e que se destacou na Feira.

 

 

Robótica e Computação Criativa

Trinta equipes foram selecionadas, dentre 158 projetos inscritos, para expor suas iniciativas criadas em sala de aula, que promovem o uso sistemático da tecnologia e que geram impactos positivos na aprendizagem dos estudantes.

Os alunos da EE Doutor Antonio Pinto de Almeida Ferraz, da DE Piracicaba, Kauã Benjamin e Richard Duarte Ramos, desenvolveram uma rega automática para a horta da escola, por meio da utilização do arduíno (placa de prototipagem eletrônica de código aberto). E ainda, reutilizando água que seria desperdiçada do ar-condicionado. Para o professor de História Élcio Maichacki, a melhor lição vem da vivência. “O contato direto com essa realidade é de extrema importância para o desenvolvendo intelectual, emocional e espiritual do aluno. Você toca naquilo que você aprende, no que está conhecendo. Fora o contato com a terra, a água, as plantas. Faz com que os alunos cresçam como seres humanos, pensando no respeito ao meio ambiente e ao próximo.” E para Kauã, a experiência computacional foi bastante interessante: “Eu nunca tinha mexido com programação antes, e eu achei muito legal. Fiquei estudando, e pensando: ‘nossa, que da hora’. E isso me ajudou muito também, porque eu quero programar sites, jogos”, conta.

Já os estudantes da EE Deputado Manoel de Nóbrega, da DE Leste 2, apostaram na conscientização e responsabilidade social. Davi Le Senechal Bueno conta: “Fizemos um carro movido a energia solar, por conta dos problemas do futuro”. Um projeto que envolveu a participação de 35 alunos, dos 6º e 7º anos do Ensino Fundamental, e que focou não apenas nas questões sobre aquecimento global relacionadas aos combustíveis fósseis, mas também no Projeto de Vida que envolvia Marketing, Administração, Engenharia Mecânica e Engenharia Elétrica. A iniciativa garantiu aos alunos o 3º lugar na premiação de Robótica.

Confira aqui a lista de todos os alunos e projetos vencedores.

Tags:
Categories:

Busca de Notícias